sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Sem segundas chances



As oportunidades da vida são assim: chegam, se aconchegam num canto, fazem firulas para serem notadas, insistem e algumas vezes as deixamos passar.
Talvez por não sabermos o que de verdade queremos da vida, ou por não decidirmos nos desprender dos laços que não tem grande valia, ou até por estarmos contaminados pelo medo de amar.

Aquilo que muitas vezes bendizemos aos céus, clamamos em alto e bom tom, passam, em inúmeros momentos, despercebidos, porque estamos ocupados demais para notarmos que nosso pedido foi atendido.
E o que acontece depois?
A repetida indagação: por que comigo nada dá certo?
Se permaneces de braços cruzados, até mesmo quando a oportunidade te cutuca o nariz, ou com vara curta; enfiar goela abaixo, que é chegada a hora de viver, não será decisão de ninguém, apenas tua.
Arregale estes teus olhos de moço bonito, permita-os ser ávidos de alegria, e segure bem forte na mão do que a vida lhes trouxe, sem mais delongas.
Segure bem firme, meu amigo!
Ou, certamente, alguém mais esperto do que você abraçará a condição e saberá aproveitar cada segundo das oportunidades do caminhar!
Nem sempre a vida lhes dará uma segunda chance!

Tayane Sanschrí

Nenhum comentário:

Postar um comentário