quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Uma saudadezinha


Acordei, em meio a madrugada quente, querendo a sua presença; tomada por uma necessidade de sentir o seu cheiro se impregnando em mim para poder diminuir toda essa saudade que faz estremecer cada pedaço de minha pele.
Mas, não podia perder a noção de tempo, pegar o celular e deixar qualquer mensagem em sua caixa postal, tal qual aquelas amantes neuróticas que sem se importar se o namorado vai levantar com o primeiro raio de sol, liga insistentemente só pra perguntar: 'tá onde,amor?'.
Além do mais, não sou tua amante-namorada. Sou a amiga linda que um dia teve um rolo com você, mas que ainda assim acorda em plena madrugada com saudade dos teus beijos, das conversas jogada fora e dos jantares regados a muitas gargalhadas.
O jeito é me controlar, pois se eu fizer isso, o máximo que conseguirei será criar em você a ideia de que sou uma louca sem noção que telefona em plena madrugada por conta de um capricho tolo: uma saudadezinha qualquer, que por sinal é só minha.
Ah! maldição, por que neste exato momento não sou tua namorada neurótica capaz de te ligar em plena madrugada quente só pra sussurrar: 'daria o mundo pra estar ai do teu lado nesse exato momento, só para deitar no teu peito até pegar no sono de novo'.
Melhor virar para o outro lado da cama e tentar pegar no sono outra vez.
Afinal, o relógio já marca quase quatro horas da manhã e preciso acordar cedo para resolver um mundo de coisas que permeiam minhas obrigações diárias.
Tomara que pelo menos eu volte a sonhar com você, estava tão bom, eu, largada em teus braços, ouvindo você falar dos teus planos... um sonho tão real.
Mas, antes vou tomar um banho, essa cidadezinha é muito quente nessa época do ano.

Tayane Sanschrí

Nenhum comentário:

Postar um comentário