sábado, 28 de novembro de 2015

O AMOR NÃO É PARA OS COVARDES



Há momentos em que o coração precisa se acolher; e silenciar.
Isso não presume que estejamos perdidos, sem direção, ou que tenhamos deixado as portas trancadas para o amor entrar.
Tantas vezes, após uma decepção amorosa, nos entregamos para um novo alguém na ânsia de vivermos um novo relacionamento, e o que acontece, normalmente,  é que o nosso coração se estilhaça - como se tivesse sido lançado do décimo andar de um prédio -, e fica em pedaços pontiagudos, cortantes, capazes de ferir quem o tenta juntar. 
Todos estamos vulneráveis à isto. Ninguém escapa. 
Quem sabe, o nosso medo de estar só nos convença de que qualquer beijo é paixão, que qualquer palavra bonita é amor, de que qualquer carinho é convite para se bordar um lindo e aconchegante romance.
Frequentemente estamos enganados; porque não nos permitimos transbordar sozinhos. Ficamos buscando no outro razões para insistir, permanecer, "amar", como se fosse o último suspiro do amor. E o que acontece? Esquecemos de ser nós mesmos. Sofremos. Machucamos. Criamos um personagem para agradar o outro, em troca de um pseudo amor; daqueles que não é recíproco na mesma medida. É, porque tem amores, assim. 
Veja bem, se você se esforça demais, agrada demais, e tenta o tempo inteiro conquistar alguém, que te exige condições para ficar, que não sabe se quer ficar... é hora de ir embora.
O amor vem e fica. Não se exige, não se insiste. Não se compra com presentinhos e agrados. Não tem dúvidas. O amor por si só, basta.
Agora, presta atenção, porque tem muita gente medrosa por aí. Que quer um amor, mas tem medo de amar. Fica apavorada, inquieta, confusa. E no meio dessa confusão acaba cansando o coração de quem tem tanto amor pra dar. Se  você se encontra, assim, respira, e vai tomar um chá de coragem. O amor não é para os covardes. Amar exige espírito de aventura, e entrega, porque sorrisos ralam, também. O amor é um lindo risco. 
Mas, se você esbarrar em alguém, assim, vou te dizer, não se sinta culpado, se você tentou e o outro não viveu, porque o medo o dominou.
Ainda ontem, descobri que quando você estiver sossegado, sem esperar nada, o amor sorrirá pra você. Ele não mandará telegrama avisando sobre a sua chegada, nem terá amigos pressionando para que aconteça; não haverá expectativas que desassossegam. Simplesmente acontecerá.
Este momento ocorre quando o coração está em silêncio, porque conseguimos ouvir as razões, compreender as pessoas. 
Pare um pouco, sossegue o seu coração. Cuide dos seus sonhos, deixe de procurar... o amor não estará em qualquer abraço apertado, nem em todo sorriso iluminado. 
A gente se engana. E como nos enganamos. 
A gente engana, também.
Mas,  não se tranque e engula a chave por medo de amar. Fica leve pra o amor entrar. O que mais se encontrará por aí serão pessoas vazias, que querem amores para sugar suas energias e se abastecerem com a felicidade que elas não encontram nas pequenezas da vida, no dia a dia. SOZINHAS.
Não queira alguém pra TE fazer feliz, seja feliz sozinho e então, SERÁS feliz com alguém.
Não queira alguém para ser estepe, ou curar a dor de um ex-amor. Não há nada mais mesquinho  do que cativar o amor de alguém, e depois você debochar, porque o seu medo, ou o amor que você nunca curou, o impede de ser inteiro. A gente pode nem perceber, mas, machucamos demais as pessoas quando estamos doloridos, com o coração quebrado. Cure-se primeiro. Só não se demore pra isso, pois, "a próxima vez, "próxima semana, talvez" é tempo demais pra NÃO se amar de novo.
Em qualquer circunstância, guarde  o seu coração. 
Muitas vezes, o nosso coração só precisa se retrair. Nada mais.
E, quando você se bastar, pode sorrir, gargalhar; você amará e será muito bem amado.

Tayane Sanschrí



domingo, 22 de novembro de 2015

TODAS AS VERDADES SOBRE O AMOR



Homens  e mulheres resmungam o tempo inteiro que não conseguem encontrar alguém bacana para se relacionar, que chego a sentir uma vontade gigantesca de juntar estes desgarrados.
Mas, aposto que você se pega, constantemente, navegando neste mar profundo de indagações. Sem respostas. Afinal, se tantos homens e mulheres querem encontrar alguém, e há tantos na busca, por que diachos não se esbarram?
Veja bem, até que se esbarram, mas, o desejo de encontrar alguém é tão grande, que esta procura parece se tornar num objetivo de vida ou morte. Às vezes soa como um desejo desesperado para ambos os sexos, que a possibilidade de dar certo com alguém vai por água abaixo.
E olha que tenho observado uma coisa bem peculiar, me desculpem este parenteses, os homens parecem estar mais ansiosos em encontrar alguém do que as mulheres. Será que essa mulherada moderna, independente, dona de si, está deixando os meninos assim?
Especulações à parte, o amor esperado, me soa como uma exigência, como se fosse um produto servido em fast-food: "Já te beijei, o beijo teve sintonia, escolhi você, e agora quero que os meus filhos tenham o seu sobrenome".
É gente correndo pra tudo que é lado. Respira.
Ou ao invés de você atrair, vai afastar.
Sem essa de que amor, aquele pregado pelas revistinhas da moda, surge no encontro do olhar, ou em meses: o amor é mais que isso, meu amigo.
O amor te ensina a admirar o melhor e o pior do outro. O pior, sim, porque ninguém é perfeito; e quem ama, acha bonitinho os defeitos do amado. Além disso, você se descobre amando quando não aguenta ficar tanto tempo longe da pessoa, sem falar com ela, sem um afago. O amor alimenta a alma. Mas, calma aí, não vai achar que estar sofrendo por falta do amor é amor, hein?
Pois, quem te ama nunca, JAMAIS, te fará sofrer. Isso é capricho!
Aliás, falta entrega por parte de homens e mulheres nesta modernidade imediatista. O que vejo são homens que se desdobram para conquistar uma possível pretendente, e mulheres insistindo por alguém que não lhes dá uma chance de viver essa sensação maravilhosa.
Ah, sensação boa que acontece quando duas pessoas estão dispostas a viver uma história de amor.
O frenesi hoje é no ritmo, daquela música da Banda baiana Cheiro de Amor "já beijei um, já beijei dois, já beijei três...", pra no final não conquistar ninguém.
Claro que se você tenta conquistar uma pessoa, está lá sendo romântico e em troca só lhe chega exigências: cai fora. A pessoa pode ser linda, meiga, inteligente, o que for, cai fora. Esta criatura só estará se aproveitando do teu jeito bonzinho de ser. Aí neste caso, até eu te sugiro beijar outra boca e deixar aquela pra lá. Você não vai passar o resto dos seus dias, tentando mostrar pra alguém que você vale muito a pena, né? Azar o dela se não soube viver.
Até porque o amor não exige nada, e do amor não se exige patavinas. Ele, simplesmente vem, e fica.
Se você acha que tá difícil encontrar um amor pra chamar de seu, se recolhe. Ame-se loucamente e então esteja disposto para o amor.
O que não vale é tentar encontrar em vários braços os abraços que você tanto deseja. O amor chegará, sorrateiro e vai te surpreender. E quando chegar deixa ele entrar. Deixa! Sem julgamentos, sem medos, sem nada. Permita-se! Quem garante que este alguém não te fará viver uma história linda?

Tayane Sanschrí