sábado, 28 de novembro de 2015

O AMOR NÃO É PARA OS COVARDES



Há momentos em que o coração precisa se acolher; e silenciar.
Isso não presume que estejamos perdidos, sem direção, ou que tenhamos deixado as portas trancadas para o amor entrar.
Tantas vezes, após uma decepção amorosa, nos entregamos para um novo alguém na ânsia de vivermos um novo relacionamento, e o que acontece, normalmente,  é que o nosso coração se estilhaça - como se tivesse sido lançado do décimo andar de um prédio -, e fica em pedaços pontiagudos, cortantes, capazes de ferir quem o tenta juntar. 
Todos estamos vulneráveis à isto. Ninguém escapa. 
Quem sabe, o nosso medo de estar só nos convença de que qualquer beijo é paixão, que qualquer palavra bonita é amor, de que qualquer carinho é convite para se bordar um lindo e aconchegante romance.
Frequentemente estamos enganados; porque não nos permitimos transbordar sozinhos. Ficamos buscando no outro razões para insistir, permanecer, "amar", como se fosse o último suspiro do amor. E o que acontece? Esquecemos de ser nós mesmos. Sofremos. Machucamos. Criamos um personagem para agradar o outro, em troca de um pseudo amor; daqueles que não é recíproco na mesma medida. É, porque tem amores, assim. 
Veja bem, se você se esforça demais, agrada demais, e tenta o tempo inteiro conquistar alguém, que te exige condições para ficar, que não sabe se quer ficar... é hora de ir embora.
O amor vem e fica. Não se exige, não se insiste. Não se compra com presentinhos e agrados. Não tem dúvidas. O amor por si só, basta.
Agora, presta atenção, porque tem muita gente medrosa por aí. Que quer um amor, mas tem medo de amar. Fica apavorada, inquieta, confusa. E no meio dessa confusão acaba cansando o coração de quem tem tanto amor pra dar. Se  você se encontra, assim, respira, e vai tomar um chá de coragem. O amor não é para os covardes. Amar exige espírito de aventura, e entrega, porque sorrisos ralam, também. O amor é um lindo risco. 
Mas, se você esbarrar em alguém, assim, vou te dizer, não se sinta culpado, se você tentou e o outro não viveu, porque o medo o dominou.
Ainda ontem, descobri que quando você estiver sossegado, sem esperar nada, o amor sorrirá pra você. Ele não mandará telegrama avisando sobre a sua chegada, nem terá amigos pressionando para que aconteça; não haverá expectativas que desassossegam. Simplesmente acontecerá.
Este momento ocorre quando o coração está em silêncio, porque conseguimos ouvir as razões, compreender as pessoas. 
Pare um pouco, sossegue o seu coração. Cuide dos seus sonhos, deixe de procurar... o amor não estará em qualquer abraço apertado, nem em todo sorriso iluminado. 
A gente se engana. E como nos enganamos. 
A gente engana, também.
Mas,  não se tranque e engula a chave por medo de amar. Fica leve pra o amor entrar. O que mais se encontrará por aí serão pessoas vazias, que querem amores para sugar suas energias e se abastecerem com a felicidade que elas não encontram nas pequenezas da vida, no dia a dia. SOZINHAS.
Não queira alguém pra TE fazer feliz, seja feliz sozinho e então, SERÁS feliz com alguém.
Não queira alguém para ser estepe, ou curar a dor de um ex-amor. Não há nada mais mesquinho  do que cativar o amor de alguém, e depois você debochar, porque o seu medo, ou o amor que você nunca curou, o impede de ser inteiro. A gente pode nem perceber, mas, machucamos demais as pessoas quando estamos doloridos, com o coração quebrado. Cure-se primeiro. Só não se demore pra isso, pois, "a próxima vez, "próxima semana, talvez" é tempo demais pra NÃO se amar de novo.
Em qualquer circunstância, guarde  o seu coração. 
Muitas vezes, o nosso coração só precisa se retrair. Nada mais.
E, quando você se bastar, pode sorrir, gargalhar; você amará e será muito bem amado.

Tayane Sanschrí



2 comentários:

  1. Perfeito!!!! Se todos, mas se todos internalizassem este ensinamento supra não se precisaria de alguém para amar a si; não precisaria de outrem para tentar "curar" um sentimento ( porque há momentos que não sabemos se é paixão, amor ou paixonite) passado, porquanto, às vezes, um tempo para si é relevante a fim de se auto-observar para, assim, saber se está pronto ( a) para um relacionamento que neste se pode encontrar o amor. Jamais se feche para a vida, para um suposto amor, apenas se salvaguardar.
    Todavia, viver alguns percalços neste sentido nós fax em amadurecer para lidar e saber discernir como devemos proceder nas vicissitudes do coração.

    ResponderExcluir